domingo, 29 de julho de 2012

Você precisava saber



Eu sei que neste momento você ainda não me entende. Sei que não compreende o porquê de eu ter agido daquela maneira. Entendo que não é mesmo fácil compreender o que a razão não pode te explicar. Mas, às vezes, quando a vida nos confunde, é melhor agir do jeito que está pedindo o coração e dar um tempo pra esfriar a cabeça.

Sei que não fui completamente clara em minhas explicações, mas saiba que, como te disse, fui totalmente verdadeira em tudo. Se tivesse dito mais, talvez as coisas fossem mais visíveis pra você agora, mas tem coisa que é melhor guardar só pra gente, no fundo do peito. E, de qualquer maneira, seu esforço em não me entender seria o mesmo.


Não te culpo. Acho que em seu lugar eu pensaria da mesma forma. Só peço que não me culpe também. Tem hora que ninguém tem culpa, mas mesmo assim os fatos não deixam de doer. E posso falar uma coisa?Dói em mim também, principalmente por saber que está doendo em você. Também vivo uma certa nostalgia ao lembrar de tudo. Também sinto um aperto no peito, como você diz.Não como o seu, que com um abraço e um olhar desapareceria numa fração de segundo, mas um aperto de quem sabe que jogou a última carta na mesa, e que agora só resta esperar pra ver a carta  que a vida tem nas mãos.


Talvez eu tenha feito o jogo certo, talvez não. Confesso que ainda não tenho essa resposta.É difícil conviver com o medo de ter feito tudo errado.Não é fácil ter um milhão de dúvidas rondando a cabeça e te falando a todo momento que você pode se arrepender amargamente da decisão que tomou, mas esse é o risco que eu escolhi correr.Não dá pra ter tudo.A gente abre mão de um lado tentando ganhar de outro. Eu só preciso que saiba que, se errei, foi tentando acertar, e que tudo o que eu fiz e falei foi sincero.


Obrigada por ter sido diferente para mim, por ter feito tudo com dedicação e verdade no olhar. Desculpe se não pude ser pra você tudo o que você quis. Eu fiz o que pude. Juro . Sei que merecemos muito mais, e não posso ser metade pra você e nem comigo.


Sei que você tem razão quando me diz que pra conseguir alguma coisa a gente tem que tentar, mas  não era o meu momento. Talvez eu devesse mesmo superar a inércia que, em certas situações, deixo envolver a minha vida e dar um passo a mais. E talvez você goste de ouvir que me ajudou a dar um grande passo dentro de mim. Confesso que você também tinha razão quando dizia que via o medo nos meus olhos, estes olhos que me denunciavam quando eu insistia em dizer que não.


Mesmo que tudo seja passado, agora você já faz parte de mim. E quando eu disse que você tinha um lugar no meu coração, eu não menti. Acho que é normal gostar de quem só nos fez bem. E ainda que a raiva esteja, até agora, latejando no seu peito (e não sei se o sentimento aí dentro é bem raiva), porque você acha que nada precisava terminar assim, talvez estas linhas sirvam pra falar tudo aquilo que, tentando nos proteger, eu não consegui te explicar.

4 comentários:

Natália Reis disse...

Amei o texto!

Apenas uma Amadora disse...

Nossa! Adorei seu texto!!! comecei meu blog agora, hoje para ser exata, se poder dar uma olhadinha http://desabafodecadadia.blogspot.com.br/2013/01/a-droga-do-amor.html

Larissa Machado disse...

adoorei seu blog dá uma olhada nos meus textos ! lahlorena.blogspot.com.br

Unknown disse...

Nossa,estou até emocionada!!! Parabens Jessica pelo lindo texto!!!